Sandy River, de Manuel Cortinhas

Esta é uma maqueta com 2 módulos de 800×400 mm, isto é, uma maqueta com 1,60 m de comprimento e 40 cm de largura.


Aproveitou-se o nome escrito no edifício da estação já montado há algum tempo, para dar nome à maqueta. É uma paisagem fictícia, que reproduz uma pequena estação de ligação, isolada, entre os comboios de longo curso e os regionais de ligação, e que tem também acesso rodoviário.O curso de água dá o nome à estação e à maquete.

O curso de água dá o nome à estação e à maqueta.

Projecto Genova – Vesima de Joaquim Capinha

Depois de uma conversa muito produtiva, tida na exposição de modelismo de Loures 26/10/2019, com o Eric, exponho o meu projeto ainda muito no inicio, em termos de seres humanos estou naquela parte em que o coisinho branco vai a caminho do ovulo.

Tudo começou quando encontrei no youtube, https://www.youtube.com/watch?v=hkRx3U1Ksso

  um vídeo captado na estação de Vesima na costa mediterrânica ao Sul de Genova, portanto Em Itália. O que saltou à primeira vista é que a estação é delimitada por tuneis, tanto de um lado como do outro (ver fotos do Google Earth)

Logo o cenário ideal para o módulo N, 80 cm e túnel para a zona de transição de um lado e do outro. Em termos de material a circular temos FS passageiros e mercadorias e SNCF passageiros, mas como a 1ª regra do modelismo é:

No modelismo à que fazer concessões, portanto SBB e DB podem também ser opções credíveis.

Continuando depois de apresentado o projeto e depois da conversa esclarecedora com o ERIC , passei à segunda fase, os projetos para mim executam-se em 5 fases.

1 – Fotodoc (onde se tenta obter fotos do que queremos fazer ou seja da realidade e dos pormenores)

2 – Autocad dos pobres desenhar num cartão à escala 1por 1 o traçado identificando edifícios (estação e outros) tuneis, estradas/ruas e restante paisagem.

3 – Inventário das necessidades, linhas, agulhas, boca de tuneis, kits e restantes materiais para estradas/rua e paisagem.

4 – Fase excel, depois de feito o inventário folha em excel com as necessidades ou seja kit, refª x fabricante y cust un e custo total se forem mais que 1. No fim somatório de todos os items  e perante o somatório consulta do extrato bancário, tudo nos conformes ou corta aqui e ali até existir consonância entre o estrato e as necessidades.

5 – Fase de execução do projecto

Continue reading “Projecto Genova – Vesima de Joaquim Capinha”

Ao Longo do Lago, de Eric Didier

Maquete com 3 módulos de 80x40cm ou seja uma maquete de 240cm de comprimento e 40cmde largura

Sem reproduzir um sítio específico, a maquete se inspira da linha Paris-Chambéry-Modane-Milan na zona do “Lac du Bourget” perto da cidade de Aix-les-Bains, na Savoie em França. Nesta zona a via dupla eléctrica segue o lago ao pé de uma encosta rochosa. As composições que circulam e que circularam têm grande variedade: transporte de mercadoria, serviço passageiro local e internacional (TGV e comboios de noite).

Época retratada dos anos 80 até agora

2019-09-20 – Construção dos módulos com base de contraplacado de 10 mm e kline de 10mm e desenho da linha dupla com entre eixo de 25.5mm e curva e contracurva suave com raios de curvatura de 2.4m. A via vai ser colocada na plataforma de kline, o lago se encontrado a um nível inferior na base de contraplacado.

2019-10-18 – Colagem da plataforma de cortiça de 2mm

2019-11-14 As linhas foram finalmente coladas na plataforma de cortiça! Tive que realizar a junção entre um pequeno troço de linha código 80 (na zona de ligação prevista entre módulos na zona de separador cénico) e o resto da linha código 55 que esta na maquete. Dá um pouco de trabalho mas a linha com código 55 é realmente mais fina que a 80.

Colei uma primeira via, neste caso a via exterior. Deixei secar. Cortei no cartão madeira (neste caso de 1.2mm de espessura) guias para acertar a largura entre as duas vias e ter o entre eixo certo.

Colei a segunda via encaixando bem esta contra as guias. Coloquei alguns pesos na linha para segurar tudo e tirei as guias para não ter o risco de colar à via.

Adicionei um leve relevé na curva. Para tal, tem que se realizar um declive suave entre a posição sem relevé (carris no mesmo nível) e o máximo que se pretende. Na realidade, o relevé máximo, nas linhas francesas, é da ordem de 16 cm, ou seja 1 mm na escala N, entre os dois carris. Aqui, como a curva é curta, o relevé entre carris é de apenas 0.3mm, mas já chega para ser visível.

Coloquei na extremidade exterior da linha ripas de plástico de 0.25 e 0.50 mm, com espeço de 6 cm entre elas. Vê se a primeira linha já colada com as ripas por baixo da linha e as ripas no sitio certo para a segunda linha.

O resultado:

Voila ! o primeiro módulo já esta com a via posta J

Agora, mesmo tratamento para o segundo módulo, mas tem que se acertar bem a continuidade e alinhamento da linha entre os dois módulos.

Proudly powered by WordPress | Theme: Baskerville 2 by Anders Noren.

Up ↑