FELIXBURG – na Era do Vapor – José Manuel Martins – 1.4 – O Telhado

  O telhado dos edifícios é muito importante. Infelizmente, por vezes é negligenciada porque é uma grande superfície uniforme sem grande detalhe. Mas pelo contrario, deve ser-lhe dada uma atenção especial porque na maior parte das vezes é a primeira coisa que o espectador vê e por ser uma grande área, logo, vai causar um grande impacto.

  Um telhado ‘trabalhado’ com weathering e com pormenores á vista vai imediatamente chamar a atenção e ‘levar’ o espectador a procurar outros pormenores no edifício em si e circundantes…

Fig. 31 – Iniciei os trabalhos no telhado construindo, em Evergreen, a parede vertical entre as duas aguas. Os respiradouros são os originais…

Fig. 32 – O telhado tem duas aguas, e comecei pela maior. Adicionei a caleira – recuperada do original e cortado a medida. Os dois perfis de Evergreen central servem para centrar o telhado com a viga de sustentação…

Fig. 33 – De seguida cortei a parte frontal do telhado. O telhado da baia pequena é só uma peça, já que não tem quebra vertical. Um corte basta para realizar a cumeeira …

Fig. 34 – Antes de continuarmos os trabalhos no telhado terminamos a pequena lateral da Cocheira…

Acrescentamos um perfil de Evergreen para servir de apoio ao telhado da baia pequena…

Fig. 35 – Correcções adicionadas em evergreen… com este nível de scratchbuild vai ser sempre necessário uma ou outra correcção ‘aquilo que não planeamos’… nada que envergonhe… J

Fig. 36 – O telhado terminado, já com as caleiras em todas as aguas, e em posição. O telhado vai levar um primário preto antes de continuarmos para a próxima fase…

Fig. 37 – Cobertura do telhado com tiras de lixa600, ideal para o efeito que pretendemos. O primário preto que demos antes evita que as imperfeições sejam visíveis. Inevitavelmente qualquer falha evidenciar-se-ia se mantivéssemos o branco…

Fig. 38 – Entusiasmado com o resultado dos trabalhos para as colunas interiores – noutra secção – decidi fazer os algerozes em perfis de latão. As abraçadeiras são feitas com tiras de folha de estanho…

Fig. 39 –  Gostei do efeito da madeira e também do prazer que dá trabalhar com este nobre material, por isso aproveitei esta oportunidade para inserir mais um elemento em madeira…

Fig. 40 – E o aspecto final agrada-me bastante… e no fim é o que isto pretende ser… um grande projecto composto de pequenos projectos que nos dão prazer a realizar…

O próximo update deve demorar porque envolve muito scratchbild e experimentação…

Próximo update –  1.5 –  As Portas

——————————  Continua ——————————

Resumo

  Felixburg é um Projecto pessoal de um Layout, em Escala N, com sistema Digital DCC, num cenário germânico, na Era do Vapor.

  Faz parte de um Projecto global do Clube “N Club Model Trains” de divulgação do Hobby Modelismo Ferroviário, na Escala N.

Bem Hajam

José Manuel Martins

FELIXBURG – na Era do Vapor – José Manuel Martins – 1.3 – O Interior

Devo dizer que sou um grande adepto da decoração de interiores. Ainda que seja o nosso lado narcisista, pois apenas nós sabemos que está lá.

  Em edifícios de escala N ainda é mais difícil, mas admito que gosto de detalhar o interior e tirar photos… para mais tarde recordar… com prazer. J

  Neste caso, de um grande edifício, com grandes janelas e, se calhar, com as portas sempre abertas, ainda mais se justifica detalhar o interior…

… ou não e é só uma desculpa J

  Não interessa, vai servir para experimentar algumas coisas, recordar algumas técnicas e verificar o ‘enferrujamento’ noutras, por isso, está mais que justificado e…

Fig. 21 – Wash preto para evidenciar os ladrilhos… pela photo vê-se bem a diferença e a importância deste wash…

Fig. 22 – Cortei o plástico todo a volta do caixilho, pois queria que a janela encaixasse na abertura, sem relevo na parede, que será coberta. De seguida colei o acetato a servir de vidro. Uma gota cola no topo do caixilho e outra no fundo e chega, o ‘vidro’ já não se solta. Evitem colocar cola nos caixilhos interiores que aumenta o risco de ‘transbordar’ para o vidro e arruína o efeito

Fig. 23 – Teste exterior para verificar o contraste das cores. Chamo novamente a atenção para o bonito efeito das pedras individualizadas que compõem a parede…

Fig. 24 – Photo da parede exterior completa; janelas, caixilhos e parede. Fiquei bastante satisfeito com o resultado final de tons e materiais…

Fig. 25 – Vista interior das janelas, encaixadas, ao mesmo nível da parede. Assim, sem relevo, a folha de cartão que vai cobrir as paredes interiores poderá ser colada directamente na parede.

Fig. 26 – Usei folhas de cartão da Faller para o recobrimento das paredes interiores. Inicialmente tinha escolhido o código 222568 mas achei muito ‘berrante’ e optei pelo 222559. Atenção ao recorte que é feito no verso do cartão…

Fig. 27 – As paredes interiores recortadas, com excepção das paredes frontais, claro, que estamos a deixar para o fim, quando resolvermos a questão das portas da Cocheira

Fig. 28 – Comecei pela parede maior para ver se gostava deste pedrão e se adequava ao que eu queria. Ficou bem.

Fig. 29 De resto é simplesmente colar os cartões as paredes e tirar photos para ver como ficava… … e para mais tarde recordar, claro. J

Fig. 30 – Mais uma photo… para verificar o efeito… para apreciar o trabalho… para… Whatever, disfrutar

Próximo update –  1.4 –  Telhado e acabamentos

Resumo

  Felixburg é um Projecto pessoal de um Layout, em Escala N, com sistema Digital DCC, num cenário germânico, na Era do Vapor.

  Faz parte de um Projecto global do Clube “N Club Model Trains” de divulgação do Hobby Modelismo Ferroviário, na Escala N.

Bem Hajam

José Manuel Martins

Proudly powered by WordPress | Theme: Baskerville 2 by Anders Noren.

Up ↑